Cachorros e gatos no outono, necessidades e conselhos.

O outono é uma época de passagem caracterizada por mudanças climáticas e temperaturas mais baixas, fatores que podem ser perigosos para os nossos cães e gatos e afetar as suas necessidades.

Sem categoria

Nem todos sentem frio da mesma maneira

Nem todos os cães e gatos têm frio, e nem todos da mesma maneira. Cães e gatos de pelo longo sofrem mais na primavera, quando o tempo começa a aquecer, aqueles com pelo curto, por sua vez, sofrem mais na transição do outono para o inverno. O frio afeta principalmente as raças com pouco subpelo e uma baixa porcentagem de gordura corporal como, por exemplo, o galgo e poodle entre os cães e os siameses e peterbalds entre os gatos.
Animais de estimação que vivem ao ar livre sofrem mais as mudanças sazonais do que animais de estimação que vivem dentro de casa, assim como filhotes e idosos são mais delicados do que os animais adultos.
Para encontrar a solução mais adequada para o seu amigo de 4 patas é muito importante ter em conta todas as variáveis referidas acima.

A troca de pelo (ou muda)
Este fenômeno envolve cães e gatos, que começam a trocar o cabelo para se prepararem para o inverno.
O fator desencadeador que determina o início da muda não é a mudança de temperatura, como comumente se pode pensar, mas a quantidade de horas de luz em comparação com as de escuridão; por esta razão cães e gatos que vivem ao ar livre têm uma muda mais regular e curta do que aqueles que vivem dentro de casa.
Em comparação com a muda de primavera, no outono perdem menos pelo porque removem a pelagem de verão que é mais leve que a de Inverno. Nesta temporada para o gato aumenta a quantidade de cabelo ingerido com lambidelas: podem formar-se bolas de pelo maiores e difíceis de eliminar.
Para facilitar a muda – e evitar que o excesso de pelo se disperse em casa – recomenda-se escová-los frequentemente para remover o pelo morto e oxigenar o novo.

Doenças
A chegada do tempo frio pode causar dores nas articulações ou problemas no sistema respiratório e intestinal com episódios de constipações e diarreia. As doenças são ainda mais frequentes no outono do que no inverno, pois cães e gatos sofrem muito com as mudanças de temperatura repentinas.
Para prevenir estes problemas é recomendado não deixar cães e gatos para fora nas horas mais frias e, se necessário, é possível suportar o abaixamento das defesas imunitárias com suplementos prescritos pelo veterinário.
Por outro lado, não se deve exagerar com os cuidados porque as primeiras constipações servem para preparar o organismo para o frio do inverno e para torná-lo mais resistente, por isso recomendamos não deixar de sair, mas não fazê-lo nos momentos mais frios.

Alimentação
A queda das temperaturas provoca um consumo maior de calorias e requer um pequeno aumento na quantidade de alimento. O consumo de energia varia especialmente para cães e gatos que passam muito tempo ao ar livre e precisam de nutrientes de “estoque” para enfrentar o frio.
No entanto, é preciso ter sempre o cuidado de não exagerar, uma vez que com o frio os cães e gatos tendem a ficar preguiçosos e reduzir a atividade física.
Recomendamos alimentar o gato com alimentos que combatem a formação da bola de pelo e facilitem a sua eliminação, para que cause menos problemas.
No tempo frio, recomendamos alimentar o animal de estimação em um lugar protegido, possivelmente dentro da casa, para evitar congestões desagradáveis e perigosas.

Estes pequenos cuidados no outono também nos ajudam a prepará-los do melhor modo possível para o inverno.